Muito se tem falado esta semana da influência e da lealdade do capitão “girafa” no Sport Lisboa e Benfica, mas haverá sempre mais uma vírgula a acrescentar sobre tudo o que ele representa.

Chegou em 2003 vindo do Cruzeiro de Belo Horizonte custando aos cofres da Luz um milhão de euros. Logo no seu jogo de estreia marcou um golo num jogo de má memória para os encarnados que viriam a sofrer o golo do empate a poucos minutos do fim num jogo realizado no Estádio Nacional.
Nessa mesma época viria a alternar a titularidade com Hélder Cristóvão, atual treinador da equipa B.
Comandados por José António Camacho, o Benfica, conseguiu voltar aos títulos muitos anos depois, e assim Luisão conquistou um troféu logo na época de estreia.

Cedo começou a afirmar-se como líder de balneário, que só se efetivou com a braçadeira, assim que Simão saiu para o Atl. Madrid em 2007/08 tendo sido sempre uma carta importante de todos os treinadores que entretanto passaram pela Luz.

Em 2009/10 Luisão ganhou um novo upgrade na sua forma de defender, aprendendo muito com Jorge Jesus, alguns dos princípios que tornavam a defesa benfiquista uma das mais eficazes do campeonato, chegando a ser considerado por este como uma extensão sua dentro das quatro linhas.

Atualmente, e apesar da idade ainda se mantém um defesa moderno, procurando evoluir sempre dentro do modelo de jogo do Glorioso e que recentemente foi tema de conversa numa entrevista de fim de época ao treinador tetra campeão, Rui Vitória:

“Essa história do ser rápido, o que é isso? Se calhar o Luisão pensa mais rápido do que os outros. Nem tudo é preto e nem tudo é branco. No jogo contra o Vitória em casa, a nossa preocupação foi equipa subida, mas bloqueando a primeira saída de bola do Vitória, fazendo muita pressão. Isto foi arriscado. O Luisão, em termos de leitura do processo defensivo, sabe fazer isso como poucos em Portugal.”

Citação que mostra bem daquilo que é Luisão e do peso que tem na equipa benfiquista.

O clube está já a pensar no futuro como é óbvio, e aquilo que se vê das equipas jovens no Seixal são boas perspectivas. Ruben Dias e Pedro Álvaro podem muito bem ser os futuros líderes da defesa do Glorioso tal como líderes do balneário à imagem do capitão Luisão.

 

Anúncios