No golo sofrido, Bruno Varela (BV) podia ter feito melhor, em particular a forma como faz a mancha. No entanto, isso é um somenos.

Nos lances de 1xGR Bruno Varela esteve bem e aí nada lhe podemos apontar.

No entanto, há dois pecados capitais do internacional sub-21.

Defensivamente, está sempre demasiado recuado para quem pretende jogar com uma linha defensiva tão alta. Seja em organização defensiva seja em situações de cruzamentos, Varela está sempre muito preso à linha e é pouco lesto a sair de entre os postes. O golo sofrido é disso exemplo, onde a bola poderia ter sido interceptada pelo guardião antes de chegar ao segundo poste.

A nível ofensivo reside a maior falta de enquadramento de Bruno Varela face ao contexto atual. O Benfica não é o Vitória de Setúbal (sem qualquer desprimor para a equipa setubalense). Apesar de não ter um jogo de pés de “meter medo”, o guarda-redes optou quase sempre por bater na frente ao invés de sair a jogar. Foram essas ações que permitiram que o Vitória crescesse. Entre os minutos 46 e 48:30, por exemplo, BV pontapeia a bola 4 vezes, acabando esta por terminar na posse dos jogadores do Vitória e originando novos ataques. A continuidade de posse de bola e de ataques organizados do Vitória deu-lhes alento para animicamente crescerem no jogo. Atenção, que isto poderão ter sido indicações de Rui Vitória (até como forma de proteger a defesa e o guardião) e Bruno Varela poderá até nem ter culpa. Seja como for, este é um aspeto que não se coaduna com o estilo de jogo que o Benfica tem que impor. Isso e os 10 segundos que BV se demora a levantar cada vez que vai ao chão para apanhar a bola.

Já não estás no Vitória de Setúbal caríssimo, e esta é a altura em que tens que entender isso se quiseres vir a ter uma oportunidade “real” no Sport Lisboa e Benfica. Não se perde tempo, e a bola é demasiado preciosa para a atirarmos para o ar e rezarmos para que seja um colega nosso a apanhá-la… quanto a concentração, esta tem que estar presente em todos os lances e tens que aprender a movimentar-te cada vez que a bola esteja no nosso meio-campo defensivo. Mesmo que te pareça irrelevante, não o é. São os pequenos detalhes que fazem os grandes guarda-redes.

Anúncios